ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Adicione os sites da Cultura Evangélica ao seu iGoogle clicando aqui

BUSCADOR GOOGLE

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Parlamento Europeu debate “domingo” católico

A UE deve guardar o domingo, diz igreja católica
Novembro 18, 2008 | Fonte: theTrumpet.com - http://www.thetrumpet.com:80/index.php?q=5676.4031.0.0 (traduzido automaticamente)

A igreja católica quer o cumprimento de domingo encaixado na lei da UE. O Parlamento Europeu está debatendo mudanças a sua diretriz orientadora do tempo de trabalho. O Vaticano quer uma cláusula nesta lei que forçaria cada cidadão na União Europeia a descansar em domingo.

Um decreto medonhamente socialista, a diretriz orientadora do tempo de trabalho torna atualmente ilegal para aqueles que trabalham, com algumas exceções, na UE trabalhar por mais de 48 horas por semana. São permitidos atualmente aos trabalhadores no Reino Unido optar por desligar-se de suas provisões.

A lei está sendo revisada. Durante a segunda leitura, em outubro, sete membros do Parlamento Europeu apresentaram uma emenda que diz que o período de descanso mínimo “incluirá em princípio o domingo.” A comissão baseada em Bruxelas das conferências dos bispos da Comunidade Européia (COMECE) concorda, recomendando a diretriz orientadora deve dizer que “o descanso semanal mínimo deve incluir domingo.”

A emenda indica, “a probabilidade da doença nas companhias que exigem a equipe de funcionários trabalhar em domingos é maior do que nas companhias que não exigem a equipe de funcionários trabalhar em domingos. A saúde dos trabalhadores depende, entre outros fatores, de suas oportunidades de reconciliar o trabalho e a vida familiar, para estabelecer e manter laços sociais e para levar a cabo suas necessidades espirituais. Domingo, como o dia de descanso semanal tradicional, contribui a estes objetivos mais do que todo o outro dia da semana.”

A emenda nunca foi votada, atraindo a desaprovação dos bispos católicos através de Europa. Piotr Mazurkiewicz, secretário geral do COMECE, ficou indignado. A proteção do domingo, disse ele, “é uma pedra angular do modelo social europeu e uma questão de importância central para trabalhadores e suas famílias.”

A diretriz orientadora do tempo de trabalho será discutida uma vez mais em dezembro, e os bispos católicos de Europa querem esta questão debatida.

O papa foi um advogado forte do renascimento da guarda do domingo. “Sem domingo [adoração] nós não podemos viver!” O papa Bento xvi declarou durante uma missa em 9 de setembro do ano passado, declarando que era uma “necessidade” para todos os povos.

A possibilidade de um governo europeu tão poderoso que poderia declarar um dia específico um o dia de descanso é amedrontandora. Esta seria uma UE disposta e capaz de obrigar a mudanças do estilo de vida em seus cidadãos, quer gostem ou não. Seria uma Europa que obrigaria um religião estatal - o Catolicismo. A obrigação da adoração aos domingos será a marca de uma superpotência européia poderosa, aliada ao Vaticano.

A UE deve guardar o domingo, diz a igreja católica
Novembro 18, 2008 | De theTrumpet.com
Original em http://www.thetrumpet.com:80/index.php?q=5676.4031.0.0 (traduzido automaticamente, com revisões superficiais)

A igreja católica quer o cumprimento de domingo encaixado na lei da UE. O Parlamento Europeu está debatendo mudanças a sua diretriz orientadora do tempo de trabalho. O Vaticano quer uma cláusula nesta lei que forçaria cada cidadão na União Europeia a descansar em domingo.

Um decreto medonhamente socialista, a diretriz orientadora do tempo de trabalho torna atualmente ilegal para aqueles que trabalham, com algumas exceções, na UE trabalhar por mais de 48 horas por semana. São permitidos atualmente aos trabalhadores no Reino Unido optar por desligar-se de suas provisões.

A lei está sendo revisada. Durante a segunda leitura, em outubro, sete membros do Parlamento Europeu apresentaram uma emenda que diz que o período de descanso mínimo “incluirá em princípio o domingo.” A comissão baseada em Bruxelas das conferências dos bispos da Comunidade Européia (COMECE) concorda, recomendando a diretriz orientadora deve dizer que “o descanso semanal mínimo deve incluir domingo.”

A emenda indica, “a probabilidade da doença nas companhias que exigem a equipe de funcionários trabalhar em domingos é maior do que nas companhias que não exigem a equipe de funcionários trabalhar em domingos. A saúde dos trabalhadores depende, entre outros fatores, de suas oportunidades de reconciliar o trabalho e a vida familiar, para estabelecer e manter laços sociais e para levar a cabo suas necessidades espirituais. Domingo, como o dia de descanso semanal tradicional, contribui a estes objetivos mais do que todo o outro dia da semana.”

A emenda nunca foi votada, atraindo a desaprovação dos bispos católicos através de Europa. Piotr Mazurkiewicz, secretário geral do COMECE, ficou indignado. A proteção do domingo, disse ele, “é uma pedra angular do modelo social europeu e uma questão de importância central para trabalhadores e suas famílias.”

A diretriz orientadora do tempo de trabalho será discutida uma vez mais em dezembro, e os bispos católicos de Europa querem esta questão debatida.

O papa foi um advogado forte do renascimento da guardaa do domingo. “Sem domingo [adoração] nós não podemos viver!” O papa Bento xvi declarou durante uma missa em 9 de setembro do ano passado, declarando que era uma “necessidade” para todos os povos.

A possibilidade de um governo europeu tão poderoso que poderia declarar um dia específico um o dia de descanso é amedrontadora. Esta seria uma UE disposta e capaz de obrigar a mudanças do estilo de vida em seus cidadãos, quer gostem ou não. Seria uma Europa que obrigaria um religião estatal - o Catolicismo. A obrigação da adoração aos domingos será a marca de uma superpotência européia poderosa, aliada ao Vaticano.